O que fazer

Golfe no Norte de Portugal

Vidago Golf Club CC BY-NC-ND

Vidago Golf Club CC BY-NC-ND

Amarante Golfe CC BY-NC-ND

Jorge Castro CC BY-NC-ND

Ponte de Lima Golf CC BY-NC-ND

Estela Golf CC BY-N-ND

 
 
 
 
 
 

Junto ao mar ou com a montanha como cenário, jogue golfe num destino apaixonante, com um clima ameno e o ar fresco das montanhas e campos profissionais que revitalizam com as melhores infraestruturas do mundo.

    • Golfe
    • Paisagem natural
    • Arquitetura
    • Gastronomia e Vinhos
    • Fique hospedado no Vidago Palace e relaxe no SPA do hotel, um projeto do famoso arquiteto português Álvaro Siza Vieira
    • Da praia da Aguda, onde a pesca ainda é artesanal, baseada em métodos transmitidos de geração em geração
    • De jogar no Golfe de Amarante, com vista para as serras do Marão e da Aboboreira, paisagens sem igual
    • O Oporto Golf Club é, depois de Pau, em França, o segundo campo mais antigo da Europa continental

Junto ao mar ou com a montanha como cenário, jogue golfe num destino apaixonante, com um clima ameno e o ar fresco das montanhas e campos profissionais que revitalizam com as melhores infraestruturas do mundo.

No norte de Portugal, existem onze campos inseridos em cenários naturais verdadeiramente inspiradores, ideais para quem procura, em simultâneo, uma atividade física relaxante e estimulante, sempre em contato com a natureza e no meio de paisagens deslumbrantes. Se a tudo isto somar a gastronomia e os vinhos, dos mais apreciados no país, facilmente perceberá que o espera uma experiência única e completa.

Porto e arredores

No grande Porto, há vários campos de golfe de referência. Aproveite a viagem  que destinou ao golfe para visitar uma das cidades mais bonitas da Europa e conhecer a vida noturna animada da sua baixa.

É obrigatório explorar o centro histórico, classificado como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1996, visitar o mercado do Bolhão e passear na rua de Santa Catarina, com paragem no quase centenário Café Majestic. Na baixa, encontrará o melhor da vida noturna do Porto nas ruas Cândido dos Reis e Galeria de Paris e na zona envolvente. Há cafés com design, livrarias, bares, discotecas e clubes com música ao vivo.

A sul do centro da cidade do Porto– a cerca de 17 quilómetros (30 minutos de carro) –, o Oporto Golf Club (18 buracos), em Espinho, uma óptima opção. Criado em 1890, por cidadãos britânicos residentes no Porto, é, depois de Pau, em França, o segundo campo mais antigo da Europa continental. Em Espinho, vale a pena conhecer a praia – que apresenta das melhores ondas do país, incluindo a chamada Direita do Casino, um mito a norte e explorar os restaurantes de peixe na rua 2 (marginal) ou assistir a um espetáculo no Casino.

Perto da Póvoa de Varzim, uma estância de veraneio muito animada a apenas 15/20 minutos do aeroporto Francisco Sá Carneiro, o Estela Golfe Club foi inaugurado em 1989.  Este campo de 18 buracos, desenhado por Duarte Sotto-Mayor, é um dos mais bonitos e desafiantes da Europa.

O facto de ficar em cima de uma duna primária ao longo de 3 quilómetros de praias banhadas pelo oceano Atlântico, surpreende até os jogadores mais concentrados. As instalações e o serviço de primeira classe ombreiam com a magnífica beleza e as vistas únicas do oceano. Resta dizer que o restaurante e o bar do Estela Golf Club serve diariamente deliciosos pratos da cozinha portuguesa.

O Golfe de Amarante, campo desenhado por Jorge Santana da Silva, fecha a lista de equipamentos para a prática de golfe no distrito do Porto. Reúne uma natureza esplendorosa – a vista para as serras do Marão e da Aboboreira é privilegiada – e 18 buracos de puro desafio, ocupando um lugar de destaque no golfe nacional. A cidade, que outrora foi palco de invasões francesas, cujas marcas são visíveis ainda hoje na Igreja de S. Gonçalo, é encantadora, em especial o seu centro histórico.

No Minho

O Minho é uma das melhores zonas gastronómicas de Portugal – pergunte pelo bacalhau à Gil Eanes, pelo sarrabulho, em papas ou em arroz, pelos rojões, pela perna de porco à Clara Penha e pelo refrescante vinho verde. O Minho é uma região verdejante onde qualquer desporto ao ar livre atinge uma dimensão bucólica.

O Axis Golfe de Ponte de Lima, desenhado por David e Daniel Silva e constituído por 18 buracos, inserido numa paisagem bucólica de montanhas, vinhedos e jardins de árvores de fruto, é um campo típico da região. São seis quilómetros de vegetação luxuriante, com castanheiros, sobreiros e carvalhos ingleses, apoiados por um antigo solar devidamente recuperado e ampliado onde funciona a Club House. Os buracos 1, 2, 8 e 9 oferecem vistas magníficas sobre o vale do Lima e a cidade de Viana do Castelo, a 20 quilómetros. Os próximos nove buracos estão localizados na Quinta de Pias, onde há vinhas, campos de milho, macieiras e pereiras.

Em Trás-os-Montes

Em Vidago, no concelho de Chaves, vale a pena conhecer o Golfe Vidago Palace (18 buracos), que foi recentemente redesenhado por Cameron & Powell, especialistas nos campos de McKenzie Ross – o arquiteto escocês projetou o campo original, que tinha apenas 9 buracos – e tiveram o cuidado de, por exemplo, preservar toda e qualquer árvore centenária.

Construído num terreno irregular com vistas fantásticas sobre a paisagem natural, o Palácio de Vidago – o histórico hotel de luxo foi recuperado e reabriu em 2010 – e as aldeias distantes.

Como Chegar

Para Esposende e para a Póvoa de Varzim, apanhe a A28/IC1 ou a EN13. Para Ponte de Lima, siga até Viana do Castelo e, depois de passar a ponte sobre o rio Lima, tome a A27.

Para Trás-os-Montes, apanhe a A4 em direção a Amarante e depois tome o IP4 em direção a Bragança e estará no coração da região.

Vídeo

Onde fica

Comentários