O Porto para backpackers

Quem viaja por vários destinos, sempre “com a casa às costas”, como se costuma dizer, tem, normalmente, um orçamento conseguido com esforço e que não tem margem para grandes derrapagens. O Porto é uma cidadebackpackers-friendly porque é um destino económico e muito interessante.

Associação de Turismo do Porto CC BY-NC-SA 3.0

Associação de Turismo do Porto CC BY-NC-SA 3.0

Associação de Turismo do Porto CC BY-NC-SA 3.0

Associação de Turismo do Porto CC BY-NC-SA 3.0

 
 
 
 

Atualmente, a cidade tem mais de 15 ligações a cidades europeias operadas por companhias aéreas de baixo custo e é um destino onde não falta alojamento económico, é possível comer e beber sem gastar muito e visitar as principais instituições culturais da cidade gratuitamente.

Porquê ir

  • O alojamento é económico
  • É possível almoçar ou jantar e beber um copo sem gastar muito dinheiro
  • Há vários museus que têm entrada gratuita

Entrada gratuita

A Casa da Música costuma ter espetáculos gratuitos ao fim-de-semana durante o dia. Informe-se na bilheteira sobre esta possibilidade. De resto, no verão, o primeiro edifício construído em Portugal exclusivamente dedicado à música oferece vários espetáculos de entrada livre.

No Museu de Arte Contemporânea de Serralves, o mais importante no Porto e um dos melhores do país, a entrada é gratuita ao domingo, até às 13h, mas há outros museus com entrada livre.

No Centro Português de Fotografia, na antiga Cadeia da Relação, no coração da baixa, a entrada é sempre gratuita. O Museu Nacional Soares dos Reis, junto ao hospital de Santo António, é o primeiro museu público do país e tem entrada livre aos domingos e feriados até às 14h. Neste museu, não perca a colecção de obras de escultura e pintura do século XIX e da primeira metade do século XX.

Finalmente, o Museu do Vinho do Porto, onde pode ficar a conhecer melhor a história do néctar produzido na região demarcada do Douro, tem entrada gratuita ao sábado, das 10h às 12h30 e das 14h às 17h30, e ao domingo, das 14h às 17h30.

Vai gostar

  • Do espírito informal e acolhedor com que os novos alojamentos recebem os visitantes
  • Das inaugurações simultâneas na rua Miguel Bombarda

De dois em dois meses, há inaugurações simultâneas na rua Miguel Bombarda e artérias adjacentes. O evento que leva muita gente ao chamado quarteirão das artes é uma oportunidade para ver pintura, instalações, escultura e outras artes plásticas de forma gratuita nas múltiplas galerias de arte do bairro.

Entre os melhores do mundo

O Porto registou nos últimos cinco anos um aumento de um para 26 hostels. Apesar de serem económicos e terem um espírito informal, a condizer com o perfil de muitos dos visitantes que chegam à cidade, estes alojamentos têm uma decoração e design cuidados e organizam passeios, festas e noites temáticas e outras atividades.

Há projetos temáticos, alusivos ao cinema a cidade é palco do Fantasporto, um festival internacional de cinema fantástico que acontece em fevereiro/março ou especializados em que visita o Porto para a prática de surf e outros desportos náuticos, projetos mais pequenos e outros maiores, quase todos centrais.

O que precisa saber

  • O Andante Tour foi criado a pensar em quem visita o Porto: o Andante Tour 1  é válido durante 24 horas consecutivas após a primeira validação; o Andante Tour 3 já é válido durante 72 horas consecutivas após a primeira validação.
  • Na estação de metro da Trindade, há cacifos onde pode depositar a sua bagagem por um período máximo de 36 horas. O depósito de bagagem está acessível das 6h à 1h30 e os preços variam consoante o volume da sua mala. 
  • Conte com um preço médio de 15 euros por pessoa/noite nos hostels do Porto.

Em 2012, o Porto viu três dos seus hostels entrarem para o top 10 dos Hoscars, atribuídos pelo site Hostelworld.com, uma referência na área, reservado aos projetos mais pequenos (com 50 camas, no máximo).

Um destes alojamentos destacou-se igualmente por ser o hostel mais limpo do mundo quem vota são os utilizadores do site.

Comer e beber

Ao almoço, há vários sítios onde pode comer bem por 5 euros. É só seguir os executivos e outros portuenses na pausa para o almoço ou perguntar por restaurantes com prato do dia.

Ao jantar, e apesar de o serviço ser à carta na maioria dos estabelecimentos, não é difícil comer por 15 euros por pessoa. Os vinhos, mesmo nos restaurantes, não são caros e, sem gastar muito, pode degustar um bom Vinho do Douro ou um Vinho Verde.

O que fazer

  • Não perca uma ida à Feira da Vandoma, que se realiza todos os sábados de manhã nas Fontainhas e onde encontra artigos em segunda mão
  • Se por acaso ficar a dormir até mais tarde, vá até ao Mercado Porto Belo, que se realiza na Praça Carlos Alberto, aos sábados entre as 12h e as 19h.

Na baixa, em particular na zona da reitoria da Universidade do Porto e do centenário Café Âncora dOuro mais conhecido como Piolho ,há vários cafés e bares que servem bebidas a preços “académicos”, ou não fosse a zona da praça Parada Leitão e do Campo dos Mártires da Liberdade um poiso de estudantes, portugueses e estrangeiros participantes em programas de mobilidade.

Na mesma zona, é possível dançar na maioria dos bares com pista de dança sem pagar entrada ou consumir.

Como Chegar

Para o Porto, há voos low cost, por exemplo, de Londres (Stansted e Gatwick), Paris (Beauvais, Orly, Vatry e Charles de Gaulle), Marselha, Lille, Tours, St. Etienne, Bolonha, Bordéus, Lion, Toulouse, Madrid, Barcelona El Prat, Tenerife, Valencia e Palma de Maiorca.

Apenas no verão, há companhias low cost a voar de Liverpool, Las Palmas, Carcassonne, Rodez e Nantes.

Com tarifas normais, há ligações aéreas a partir de Londres Gatwick, Madrid, Barcelona e Paris Orly.

Do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, a melhor forma de chegar ao centro da cidade do Porto é de metro. A viagem dura cerca de 30 minutos.

Be inspired

Choose your journey, find new places, have some fun and create memories for a lifetime.

Saiba mais

Artigos relacionados

Norte litoral: desportos náuticos, paisagem cuidada e sabor a mar

Saiba mais

Junho é um bom mês para visitar o Porto

Saiba mais

O quarteirão das artes: Miguel Bombarda e arredores

Saiba mais