À descoberta do Vale do Rio Minho

Conheça os caminhos do Minho e as vilas portuguesas que acompanham este rio fronteiriço até à sua foz e os seus principais motivos de interesse.

AquaMuseum all rights reserved

Viana Locals all rights reserved

Valença do Minho City Council all rights reserved

Vila Nova de Cerveira City Council all rights reserved

 
 
 
 

O rio minhoto é o pretexto para dias de descontração no norte do país. Conheça os caminhos do Minho e as vilas portuguesas que acompanham este rio fronteiriço até à sua foz e os seus principais motivos de interesse.

Porquê ir

  • Paisagem natural
  • Gastronomia e Vinhos
  • Termas
  • Desportos náuticos
  • História
  • Património
  • Praias

Ande de bicicleta na Caminha Ecopista do Rio Minho, em Monção e Melgaço, visite o Aquamuseu, em Vila Nova de Cerveira, e passeie na Mata Nacional do Camarido, em Caminha.

O rio Minho percorre 300 km para desaguar em Caminha. Entre Melgaço e a foz, é fronteira natural entre Portugal e Espanha.

Nas terras do Alvarinho

Em Melgaço, que se desenvolveu à volta do castelo mandado construir pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, no século 12, visite o Solar do Alvarinho e experimente as diversas variedades do Vinho Verde, um vinho único no mundo e ideal para acompanhar peixes e mariscos ou para uma simples pausa refrescante, num dia de calor.

Aproveite para conhecer a região, extremamente fresca e verdejante. Nas redondezas, vale a pena visitar o Mosteiro de Fiães e as Igrejas da Senhora da Orada e de Paderne – monumentos em estilo românico –, bem como a aldeia tradicional de Castro Laboreiro, cuja fundação remonta à Idade do Ferro e dá o nome a uma raça canina que é daqui originária.

Em Monção e Melgaço, onde se produz o mais apreciado vinho verde português, da casta Alvarinho, visite as quintas vinícolas, também conhecidas pelas suas belas casas senhoriais.

O que fazer

  • Relaxe nas Termas do Peso, que ficam a cerca de 4 Km de Melgaço e são muito procuradas pelas qualidades terapêuticas das suas águas, ou nas Caldas de Monção
  • Visite um produtor de vinho Alvarinho em Monção ou Melgaço
  • Conheça o artesanato percorrendo o roteiro das oficinas e artesãos do Alto Minho

Debruçada sobre o rio Minho, a cidade fortificada de Monção oferece aprazíveis terraços e miradouros. Relaxe na esplanada dos Neris, palco de ferozes combates travados noutros tempos entre os reinos de Portugal e Castela, e passeie ao longo das muralhas seiscentistas que guardam o centro histórico, onde vale a pena visitar os monumentos da Igreja Matriz, da Igreja da Misericórdia e da Igreja de Santo António dos Capuchos.

Nos arredores, destaque ainda para a Igreja de Longos Vales, exemplo precioso da arquitetura românica, e o nobre Palácio da Brejoeira, onde se produz Alvarinho.

Se gosta de praticar desporto em comunhão com a natureza, tem mesmo de pisar a Ecopista do Rio Minho, uma via ecológica de 17 Km, a primeira em Portugal a aproveitar linhas férreas desativadas, que liga a ponte internacional entre Monção e Salvaterra a Valença.

Nos troços onde é possível, aproxime-se mais do rio e observe a arte das pesqueiras. Permitida em embarcação entre Caminha e Monção, no troço até Melgaço, é nestes muros de pedra erguidos no leito do rio por mãos experientes que a lampreia é capturada.

Estas construções já eram referidas no século 11 e são, segundo a UNESCO, exemplares arquitetónicos-paisagísticos raros.

O que precisa saber

  • Em 2009, a Ecopista do Rio Minho foi classificada como a quarta melhor ecopista da Europa
  • No posto náutico da praia da Foz do Rio Minho, alugam-se bicicletas  e caiaques de dois lugares

O palco da bienal

Fundada no séc. XIV por D. Dinis, Vila Nova de Cerveira conserva numerosos monumentos, que testemunham um passado rico, e é um local pitoresco, interessante em qualquer altura do ano.

Embora isso seja verdade, é por altura da bienal de artes plásticas, uma referência nacional cuja fama se vai expandindo além-fronteiras e atraindo a presença de artistas internacionais, que a cidade fica mais animada. O evento realiza-se desde 1978, de dois em dois anos, sempre no verão.

Outro motivo de interesse em Cerveira é o Aquamuseu do Rio Minho, que promove e divulga o património natural e cultural associado a este curso de água, evidenciando a diversidade de ambientes naturais existentes na região – zona de água doce, salobra e marinha, zona interdital, dunas, sapal e ribeiros de montanha, entre outros. Fica na zona do Castelinho, que tem piscinas, parque infantil e escalada para os mais novos e um aprazível parque de merendas, ideal para resguardar a família do calor nos dias de verão mais abafados.

Na foz do rio

Em Caminha, também há ferry-boat, que une diariamente as duas margens do rio. Palco de diversas lutas entre Portugal e Espanha no passado, hoje em dia, esta povoação fronteiriça fortificada enche-se de visitantes no verão, em particular nos dias em que se realiza a Feira Medieval.

No meio do estuário, numa ilhota, visite as ruínas do Forte da Ínsua, edificado no século 15 para defesa da entrada da barra. Na praia fluvial da Foz do Minho, há barcos particulares que levam os visitantes até lá. Para além dos turistas, há quem vá à Ínsua pelos mexilhões, pelas lapas e pelos caranguejos e faça a viagem durante todo o ano, assim as condições do mar o permitam.

Tome banhos de sol e de rio bem aos pés de Caminha, da Mata Nacional do Camarido – cujo pinhal foi mandado plantar por D. Dinis. Se preferir a água salgada, basta seguir a pé junto à borda da água para encontrar o Atlântico. À distância de 3 Km quilómetros, fica a praia de Moledo. Enquanto a primeira é mais frequentada por locais, por campistas e por quem procura o sossego, a segunda é o destino de férias de figuras ilustres em Portugal e um local de eleição para a prática de kitesurf.

Vai gostar

  • De descobrir os costumes minhotos que tomam forma no folclore, nas festas e romarias de verão

Prazeres do Minho

Já lhe falámos do vinho verde e do famoso Alvarinho. Ora, a gastronomia minhota está à altura desses néctares. À mesa, delicie-se com a broa de milho, os enchidos, o bacalhau, a lampreia, a truta e o sável, cozinhados de diversas formas. Para quem aprecia boa carne, é quase pecado não provar o famoso sarrabulho e os rojões.

A gastronomia e os vinhos são só a cereja em cima do bolo numa região tão rica em termos paisagísticos, culturais, históricos e arquitetónicos.

Como Chegar

Para o Porto, há voos de Bremen, Düsseldorf, Frankfurt, Karlsruhe, Munique, Dortmund, Zurich, Liverpool, Londres, Bordéus, Carcassone, Dole, La Rochelle, Lille, Lyon, Marselha, Nantes, Paris, Rodez, St. Etienne Toulouse, Tours, Barcelona, Madrid, Palma de Maiorca, Valência, Bolonha, Milão, Pisa, Roma, Copenhaga, Bruxelas, Amesterdão, Eindhoven, Rio de Janeiro, São Paulo e Nova Iorque.

Do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, a melhor forma de chegar ao centro da cidade do Porto é de metro. A viagem dura cerca de 30 minutos.

Apanhe a A28/IC1 ou a EN13 até Viana do Castelo, que fica a 60 Km do Aeroporto do Porto, e depois siga até Caminha pela A28/IC1.

Be inspired

Choose your journey, find new places, have some fun and create memories for a lifetime.

Saiba mais

Artigos relacionados

Três dias de aventuras aquáticas no norte

Saiba mais

Minho de aventuras

Saiba mais

Norte litoral: desportos náuticos, paisagem cuidada e sabor a mar

Saiba mais