Devoção e Festas Religiosas a Norte de Portugal

Em Portugal, há sempre um motivo especial que faz as pessoas saírem à rua, cantar e dançar. O norte do país não é exceção.

Associação Grupo de Caretos de Podence CC BY-NC-ND

Associação Grupo de Caretos de Podence CC BY-NC-ND

Viana do Castelo City Council CC BY-NC-ND

Viana do Castelo City Council CC BY-NC-ND

Viana do Castelo City Council CC BY-NC-ND

Viana do Castelo City Council CC BY-NC-ND

 
 
 
 
 
 

Os festejos religiosos são uma excelente oportunidade para tomar contacto com a cultura e tradições das gentes do Minho. A Braga, por exemplo, vale a pena ir pela Páscoa, festa que a cidade vive com intensidade renovando rituais cujo verdadeiro significado é a união. No Porto, o São João, de 23 para 24 de junho, é um momento de grande folia conhecido por todos.

Porquê ir

  • Religião
  • História
  • Património
  • Cultura
  • Gastronomia e vinhos

E há inúmeras outras celebrações religiosas – e festas pagãs que se cruzam com o calendário religioso –, que decorrem sobretudo no verão, que esperam por si na região.

De Braga a Viana do Castelo

Visite Braga na Páscoa e assista às Solenidades da Semana Santa. Durante esta época festiva, a cidade é decorada com motivos alusivos à quadra e os "Passos" – altares de rua – enchem-se de flores e luzes. Sabia que a Sé de Braga é o mais antigo monumento nacional, com mais de novecentos anos?

Assista à Procissão do Ecce Homo ou do Enterro, na quinta-feira Santa, guiada pelos Farricocos. Descalços e de cabeça tapada, estes homens desfilam vestidos com túnicas roxas e com tochas na mão. São das personagens mais curiosas da nossa tradição religiosa e uma reminiscência das práticas de reconciliação dos penitentes públicos, realizadas até ao século XVI.

Em agosto, é obrigatório participar nas Festas da Senhora da Agonia na belíssima cidade de Viana do Castelo. Desde o século XVIII que os pescadores rogam à virgem para que lhes conceda bom mar, numa admirável procissão que simboliza a ligação profunda da cidade com o elemento que lhe forjou a história e parte da sua sobrevivência.

Durante três dias (entre 19 e 22), o Minho está em festa, com vários cortejos, acompanhados de música e belas raparigas e rapazes vestindo os ricos e coloridos trajes tradicionais, qual museu vivo de etnografia e folclore.

Faça como os milhares de pessoas que todos os anos passam por esta tradicional romaria. Entre nas tasquinhas e restaurantes onde a cozinha portuguesa, regada com o vinho verde da região, é rainha. E, na última noite dos festejos, assista à brilhante cachoeira de fogo de artifício que anuncia, sobre a ponte centenária do rio Lima, que a festa terminou.

Vai gostar

  • Da forma como os povos do norte gostam de sair para a rua e festejar
  • Do som do ribombar dos bombos dos "Zabumbas", dos desfiles de "Gigantones" e do fogo de artifício nas Festas da Senhora da Agonia
  • Da festa de São João, no Porto

Na cidade berço de Portugal

Em Guimarães, assista à Grande Romaria de S. Torcato no primeiro Domingo de Julho. Cortejos alegóricos desfilam pelas ruas da cidade berço de Portugal, que em 2012 foi Capital Europeia da Cultura, representando as cenas da vida do santo.

Na mesma cidade, as Festas Gualterianas, no verão, oferecem bons motivos de animação, como é o caso da procissão em honra de São Gualter.

De martelo de S. João na mão

O dia 24 de Junho é dia de São João e um grande pretexto para sair à rua no Porto e saber como se festejam os santos populares em Portugal.

A noite de 23 para 24 é de grande alegria. As praças e largos da cidade, sobretudo do centro histórico e da baixa, são engalanadas com balões e arcos de papel às cores, tomadas por vendedoras de manjericos, alho-porro e martelinhos de São João – manda a tradição que os foliões saúdem quem passam com uma pancadinha na cabeça com o alho forte ou o martelo de brincar – e transformam-se em palcos para grandes bailaricos.

Para além dos bailaricos – os mais novos fazem a pé a distância entre a Ribeira e a Foz do Douro, parando em todos os bailaricos, e acabam a noite já de dia nas praias da cidade –, o fogo de artifício no rio Douro é o ponto alto da noite.

E, claro, São João é sinónimo de caldo verde, sardinhas assadas, pão e broa de Avintes e vinho tinto, por isso, quando, no meio de tanta agitação, tiver fome, faça uma pausa gastronómica.

Outras festas

No Douro, a Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, é outro bom pretexto para conhecer romarias antigas e o espírito de folia. Todos os anos, entre finais de agosto e meados de setembro, Lamego fica em festa, fazendo coincidir as Festas da Cidade com a "Romaria de Portugal" dedicada à sua Padroeira. Centenas de milhares de pessoas acorrem às festividades, para assistir a espetáculos, exposições, concertos, desfiles, arraiais e eventos culturais e desportivos.

O que precisa saber

  • Embora no calor do verão, o norte seja mais alegre, a visita é agradável durante todo o ano
  • Os santos populares e a devoção a Nossa Senhora merecem as festas mais alegres e autênticas; há música, dança, muita cor e ruas cobertas de flores
  • Lamego é o único local do mundo católico onde se pode ver uma imagem da Virgem transportada por animais

Em Terras de Bouro, à entrada da Serra do Gerês, o São Bento da Porta Aberta é mais uma romaria que cruza o religioso e o profano. O Santuário é o segundo mais visitado do país, logo depois de Fátima, e em agosto recebe milhares de peregrinos e devotos que chegam para cumprir as mais variadas promessas e rogarem por novas benesses àquele que é tido como o maior santo milagreiro do norte.

Milhares de velas que iluminam as localidades de Penafiel, Marco de Canaveses e Castelo de Paiva durante a Procissão das Endoenças que se realiza na Quinta-Feira  Santa, há pelo menos 300 anos, ligando as duas margens do troço final do Tâmega. Mais de 40.000 velas são colocadas nas margens do rio, peitoris das janelas, fachadas, varandas e nas ruas medievais de Entre-os-Rios. O efeito visual é deslumbrante.

A Queima de Judas, em Montalegre, é uma sátira à abstinência quaresmal que serve como castigo ao apóstolo que serviu de bode expiatório. Esta tradição leva todos os anos milhares de pessoas até à vila transmontana onde rústicos bonecos são sacrificados, em grande animação, num auto de fé popular.

Em Santa Maria da Feira, recue no tempo e saiba mais sobre as nossas raízes. A Viagem Medieval é o maior evento de recriação histórica medieval do país. Esta feira medieval recorda os povos que por aqui passaram e como se vivia antigamente em Portugal e é um dos momentos altos do mês de agosto no Grande Porto.

A terminar, lembramos que do norte de Portugal são várias as rotas que levam peregrinos a Santiago de Compostela. Esses percursos estão devidamente assinalados por setas amarelas, sendo que existem atualmente três caminhos principais: O Caminho da Costa, o Caminho Central e o Caminho do Interior. O Caminho de Santiago de Compostela é um itinerário espiritual e cultural de primeira ordem e a rota secular de peregrinação religiosa mais antiga da Europa, remontando ao século IX.

Esta é uma viagem que começou por ser motivada por questões de cariz religioso, mas que hoje tem um âmbito bastante mais alargado. Venha daí conhecer as catedrais góticas e românicas, os mosteiros e capelas, os castelos e aldeias celtas que caracterizam esta experiência única.

Como já percebeu, por toda a região norte, há manifestações de devoção e festas religiosas que lhe mostram o melhor da nossa tradição. Escolher vai ser a parte mais difícil. Venha fazer a festa connosco.

O que fazer

  • Vá até Braga na Páscoa e viva com as gentes locais um ambiente de festa na Semana Santa
  • No Natal, assista às cerimónias tradicionais em família e prove as especialidades da época
  • Prove sempre os petiscos e pratos tradicionais, é uma oportunidade para conhecer o que há de melhor na nossa gastronomia
  • No Porto, visite a Igreja de São Francisco, igreja-museu que alberga importantes obras de arte sacra e que é frequentemente palco para concertos de música
     clássica

Como Chegar

Para o Porto, há voos de Bremen, Düsseldorf, Frankfurt, Karlsruhe, Munique (Alemanha), Bristol, Liverpool, Londres (Inglaterra), Bordéus, Carcassone, Dole, La Rochelle, Lille, Lyon, Marselha, Nantes, Paris, Rodez, St. Etienne Toulouse, Tours (França), Barcelona, Madrid, Palma de Maiorca, Valência (Espanha), Bolonha, Milão, Pisa, Roma, Veneza (Itália), Copenhaga (Dinamarca), Bruxelas, Amesterdão, Eindhoven (Holanda), Rio de Janeiro, São Paulo (Brasil) e Nova Iorque (EUA).

Do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, a melhor forma de chegar ao centro da cidade do Porto é de metro. A viagem dura cerca de 30 minutos.

Be inspired

Choose your journey, find new places, have some fun and create memories for a lifetime.

Saiba mais

Artigos relacionados

Minho devoto

Saiba mais

Trás-os-Montes: Entre o sagrado e o profano

Saiba mais

Herança Judaica no Porto e Douro

Saiba mais