Douro maravilhoso

À semelhança da paisagem do Douro, o património da primeira região demarcada do mundo é também um mosaico de contrastes. Ao lado de modestas ermidas, veem-se amplas igrejas e grandiosos mosteiros.

Associação de Turismo do Porto CC BY-NC-SA 3.0

Associação de Turismo do Porto CC BY-NC-SA 3.0

Associação de Turismo do Porto CC BY-NC-SA 3.0

 
 
 

Os mosteiros, as igrejas, as catedrais, os santuários e os centros históricos das aldeias vinhateiras maravilham e encantam qualquer um pela sua monumentalidade, mas também pela criatividade e beleza.

Curioso? Tire, pelo menos, dois dias e faça a Rota do Douro Maravilhoso. O percurso junta monumentos de diferentes épocas e estilos arquitetónicos, que se sobrepõem uns aos outros nos socalcos dos vinhedos. Das Fragas de Panóias ao Mosteiro e Igreja de S. João de Tarouca, passando pela Sé de Lamego.

Edifícios monumentais, quase todos eles classificados como monumentos nacionais ou de interesse público, com dimensão espiritual, tradição popular e valor material.

A rota começa no concelho de Vila Real, na Fraga de Panóias, monumento nacional, santuário pagão do século III, dedicado a Serápis. O local, que foi dedicado a cultos indígenas, divindades orientais e deuses romanos, é uma joia da arqueologia em Portugal. Saiba mais sobre os rituais de outros tempos.

Se tiver oportunidade, prove a gastronomia vilarealense: as iguarias mais apreciadas são a vitela maronesa, o cabrito assado, as tripas aos molhos, os covilhetes, o joelho da porca, as bolas de carne, os enchidos e os doces conventuais “cristas de galo” e “pitos de Santa Luzia”.

Em Lamego

Siga para sul, atravessando o rio Douro. Em Lamego, visite a monumental Sé Catedral. No interior, preste atenção aos belíssimos tetos pintados por Nicolau Nasoni. Suba até à Igreja de Santa Maria de Almocave, em frente ao Paço Episcopal da Diocese de Lamego, e pise o chão onde se reuniram pela primeira vez as cortes do reino de Portugal.

Ainda em Lamego, vale a pena visitar a Capela de São Pedro de Balsemão um exemplar raro da arquitetura altimedieval em Portugal que esconde um magnífico espólio e o Convento de Santo António de Ferreirim. No interior desde imóvel de estilo manuelino-renascentista, observe o conjunto retabular do princípio do século XVI, da autoria dos chamados “Mestres de Ferreirim”, e a torre medieval.

Se almoçar ou jantar na cidade, prove o presunto, as bolas, os enchidos e os pratos de cabrito assado e coelho bravo. Regue a refeição com vinhos do Douro e termine com a confeitaria local. Delicie-se com as guídinhas, as barquinhas de Santa Clara, os Lamegos, as gradinhas e os peixinhos de chila.

Nas aldeias vinhateiras

Parta em direção à aldeia vinhateira de Ucanha, no concelho de Tarouca, e visite a Igreja Matriz. Os retábulos e tetos são magníficos e um ponto de referência, mas por aqui há outros locais que merecem a sua visita. Aprecie o centro histórico, a ponte fortificada e as caves da Murganheira.

A rota leva-o depois a outra aldeia vinhateira, Salzedas, onde fica o Mosteiro de Salzedas, um dos maiores mosteiros cistercienses de Portugal. Apesar de se encontrar em ruínas e de a fachada da igreja estar inacabada, o edifício possui, no seu interior, um espólio interessantíssimo.

Um dos primeiros mosteiros a ser construído pelos monges cistercienses em Portugal é o São João de Tarouca. Para o encontrar, só tem de seguir o percurso do rio Varosa para jusante. É um dos locais mais visitados do Douro e esconde um espólio verdadeiramente maravilhoso, que inclui a obra-prima “São Pedro”, pintura atribuída ao Mestre Grão Vasco.

Na vila de Moimenta da Beira, visite o Convento de Nossa Senhora da Purificação, onde outrora monjas beneditinas rezavam em clausura e cujo altar-mor de talha dourada é do estilo barroco.

No concelho de Sernancelhe, fica o Mosteiro da Nossa Senhora da Assunção. Este é o último convento feminino cisterciense construído em Portugal. No mesmo lugar, Tabosa freguesia do Carregal , nasceu o escritor português Aquilino Ribeiro.

No Douro Superior

No Douro Superior, vale a pena visitar as igrejas matrizes de Vila Nova de Foz Côa e atravessando o Douro para norte, em Barca dAlva de Torre de Moncorvo.

Próxima paragem: Freixo de Espada-à-Cinta. Situada no centro histórico da vila onde nasceu outro grande escritor português, Guerra Junqueiro, a Igreja Matriz destaca-se pela sua monumentalidade e apresenta um belo portal manuelino.

Miranda do Douro é o ponto final da Rota do Douro Maravilhoso. Situada em pelo Parque Natural do Douro Internacional, a cidade é conhecida pela língua mirandesa, pelos pauliteiros, pela famosa posta à mirandesa e pela sua Sé. Antiga sede da primeira diocese transmontana, o edifício imponente tem duas enormes torres sineiras. No interior da Concatedral, admire os retábulos do século XVII e XVIII, de estilo maneirista e os cadeirais barrocos.

Como Chegar

Para o Porto, há voos low cost, por exemplo, de Londres (Stansted e Gatwick), Paris (Beauvais, Orly, Vatry e Charles de Gaulle), Marselha, Lille, Tours, St. Etienne, Bolonha, Bordéus, Lion, Toulouse, Madrid, Barcelona El Prat, Tenerife, Valencia e Palma de Maiorca.

Apenas no verão, há companhias low cost a voar de Liverpool, Las Palmas, Carcassonne, Rodez e Nantes.

Com tarifas normais, há ligações aéreas a partir de Londres Gatwick, Madrid, Barcelona e Paris Orly.

Do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, a melhor forma de chegar ao centro da cidade do Porto é de metro. A viagem dura cerca de 30 minutos.

Para o Douro, siga pela estrada nacional 108 até Entre-os-Rios e continue pela margem do rio Douro até à Régua em alternativa, pode ir pelo IP4, que liga os distritos de Porto, Vila Real e Bragança, e depois continuar por estradas nacionais e municipais.

Be inspired

Choose your journey, find new places, have some fun and create memories for a lifetime.

Saiba mais

Artigos relacionados

Douro: Vale do Tua

Saiba mais

Top 10 do Douro

Saiba mais

Os sítios que são Património Mundial

Saiba mais

Conheça a paisagem onde é gerado o Vinho do Porto

Saiba mais