Na Rota dos Vinhos Verdes

A Rota dos Vinhos Verdes, no noroeste de Portugal, tem muito mais para oferecer do que o prazer desse produto único, elegante, aromático e refrescante que é o Vinho Verde.   

Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes CC BY-NC-ND

Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes CC BY-NC-ND

Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes CC BY-NC-ND

 
 
 
 

À sua espera, estão cidades Património da Humanidade, um valioso conjunto de monumentos de várias épocas, uma paisagem única, com praias e montanhas, vales e rios, e uma gastronomia de sabores únicos que se rende ao Vinho Verde. Não faltam motivos para visitar a região.

Porquê ir

  • Gastronomia e vinhos
  • Paisagem
  • História
  • Património
  • Arquitetura
  • Religião

 

Reserve um fim de semana para visitar a região, as suas vinhas, quintas, caves e adegas. Ficará impressionado com a beleza natural e secular deste território no norte de Portugal, casa para gentes afáveis e que não só sabem como gostam de acolher da melhor forma possível quem os visita. Venha daí descobrir como se produz o Vinho Verde e conhecer uma diversidade cultural e riqueza patrimonial riquíssimas.

A Região dos Vinhos Verdes, que festejou em 2008 o centenário da sua demarcação, oferece itinerários diferentes e complementares entre si. Das praias aos mosteiros, passando pela visita às quintas, seja qual for a sua escolha, pode contar com um encontro com a natureza, com a história, com saberes tradicionais e, claro, com bons vinhos e a boa mesa portuguesas.

De manhã, bem cedo, para aproveitar o sol, relaxe numa das praias, marítimas e fluviais, que a região tem para oferecer. Se é fã de kitesurf e windsurf, vai gostar de conhecer as praias de Moledo e do Cabedelo, que apresentam condições de excelência para a prática destas modalidades.

Se não é muito dado a este tipo de aventura, vá para a serra. As serras da região – d' Arga, Aboboreira, Freita, Montemuro, Alvão e Gerês – oferecem paisagens lindíssimas, valendo também a pena pelo seu património cultural e edificado.

O que precisa saber

  • A Rota dos Vinhos Verdes inclui 49 concelhos, que  abrangem todo o noroeste de Portugal
  • Não há duas serras iguais na Região dos Vinhos Verdes; são todas diferentes, mas igualmente interessantes e com acessos fáceis
  • Naturalmente leve e fresco, o Vinho Verde acompanha na perfeição saladas e pratos de peixe e marisco

O ar puro da serra vai abrir-lhe o apetite para o que vem a seguir. Ao almoço, prove a gastronomia da região e delicie-se com o bacalhau, a lampreia, a truta ou o sável. Se é apreciador de pratos de carne, prove o famoso sarrabulho e os rojões. Para beber, peça a carismática casta Alvarinho. O mais apreciado vinho verde português é feito em Monção e Melgaço, no Minho.

Não se preocupe com os sentidos nem com a dieta. O  Vinho Verde tem baixo teor alcoólico, sendo portanto menos calórico, e é um vinho frutado e fácil de beber.

De tarde, visite uma das inúmeras quintas onde se produzem grandes Vinhos Verdes e testemunhe o louvável trabalho que, nas últimas décadas, transformou propriedades e solares arruinados em belos espaços recuperados e produtivos.

Fique hospedado no Carmo’s Boutique Hotel, em Ponte de Lima. Esta unidade da rede Small Luxury Hotels of the World faz com que os hóspedes se sintam em casa e oferece no meio rural os prazeres de vida moderna.

Património cultural

No dia seguinte, parta à descoberta das cidades e das vilas e dos mosteiros da região.

Dois dos percursos da Rota dos Vinhos Verdes convidam os visitantes a conhecer algumas das principais cidades e vilas da região. O roteiro "Três Cidades de Encanto" vai levá-lo a Guimarães, Braga e Amarante, enquanto que o percurso "Do Cávado ao Lima" lhe dará a conhecer localidades nas margens do rio Lima – Barcelos, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Ponte da Barca e Arcos de Valdevez.

Vai gostar

  • Da frescura, do carácter e da singularidade dos Vinhos Verdes
  • Do centro histórico de Guimarães e da rua de Santa Maria, um dos percursos urbanos mais antigos e de maior carga simbólica

Passeie no centro histórico de Guimarães, que foi classificado como Património Cultural da Humanidade pela UNESCO, visite o castelo, a capela de S. Miguel e o Paço dos Duques de Bragança.   Tudo isso pode ser apreciado, num conjunto de espaços e construções criteriosamente preservado.

Almoce na cidade que esteve na origem da fundação de Portugal. Peça um polvinho assado, bacalhau cozido ou tradicional cozido à portuguesa. Remate a refeição com formigos ou rabanadas.

Na vizinha cidade de Braga,fica o mosteiro de S. Martinho de Tibães, um dos muitos mosteiros que a Região dos Vinhos Verdes preserva e durante séculos um dos mais influentes do norte de Portugal.

Fundado há cerca de mil anos, há cerca de duas décadas, foi alvo de importantes obras de restauro e reabilitação. No mosteiro e na igreja são visíveis marcas estilísticas que vão do maneirismo tardio ao rocaille.

E, em Braga, há mais para ver. Localizada no coração da verdejante região do Minho, trata-se de uma das cidades mais antigas de Portugal e do mundo cristão, com mais de dois  mil anos de história. A Sé Catedral, o Paço Episcopal e o Santuário do Bom Jesus do Monte são de visita obrigatória.

O que fazer

  • As quintas, adegas, restaurantes, unidades de alojamento e empresas de animação turística da região oferecem múltiplas actividades e itinerários na Rota dos Vinhos Verdes
  • No SPA do Carmo’s, mergulhe num rejuvenescedor banho de puro leite de cabra, o tratamento de assinatura deste boutique hotel

Para além destas duas cidades, e de Ponte de Lima – o centro da vila mais antiga de Portugal fica a apenas cinco minutos de carro do Carmo's Boutique Hotel –, valeria a pena visitar Amarante, Viana do Castelo, Monção e Melgaço. Bem, mas tem de ter coisas novas para conhecer da próxima vez que visitar o berço dos Vinhos Verdes.

Na região, vale a pena visitar também os mosteiros de S. Pedro de Arouca, S. Bento (Santo Tirso) e São Miguel de Refóios (Cabeceiras de Basto).

Estamos certos de que haverá uma próxima vez!

Como Chegar

Para o Porto, há voos de Bremen, Düsseldorf, Frankfurt, Karlsruhe, Munique (Alemanha), Bristol, Liverpool, Londres (Inglaterra), Bordéus, Carcassone, Dole, La Rochelle, Lille, Lyon, Marselha, Nantes, Paris, Rodez, St. Etienne Toulouse, Tours (França), Barcelona, Madrid, Palma de Maiorca, Valência (Espanha), Bolonha, Milão, Pisa, Roma, Veneza (Itália), Copenhaga (Dinamarca), Bruxelas, Amesterdão, Eindhoven (Holanda), Rio de Janeiro, São Paulo (Brasil) e Nova Iorque (EUA).

Do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, a melhor forma de chegar ao centro da cidade do Porto é de metro. A viagem dura cerca de 30 minutos.

Rume ao noroeste de Portugal, tomando a autoestrada A28 em direção a Viana do Castelo.

Be inspired

Choose your journey, find new places, have some fun and create memories for a lifetime.

Saiba mais

Artigos relacionados

Três dias na região do Vinho Verde

Saiba mais

Rota das Vinhas de Cister

Saiba mais

Os vinhos produzidos no norte de Portugal

Saiba mais