O que fazer

Rota das Vinhas de Cister

Turismo do Douro - Rui Pires CC BY-NC-ND

Turismo do Douro - Rui Pires CC BY-NC-ND

Turismo do Douro - Rui Pires CC BY-NC-ND

Turismo do Douro - Rui Pires CC BY-NC-ND

 
 
 
 

Faça um ou os dois itinerários que integram a Rota das Vinhas de Cister e tire proveito da pródiga união entre a natureza e a história que caracteriza a região. Optando por fazer os dois percursos, pode facilmente organizar a sua viagem de forma a ficar dois dias.

    • História
    • Património
    • Gastronomia e vinhos
    • Paisagem
    • Compre artesanato. No Douro, o artesanato está fortemente ligado às tradições, como a cestaria, a latoaria, a olaria, a tanoaria ou os trabalhos em renda e lã
    • Na Quinta da Pacheca (http://www.wonderfulland.com/pacheca/), faça uma visita guiada e participe numa prova ou num curso de vinhos
    • Dos espumantes e dos aromáticos vinhos de mesa da Região Demarcada do Távora-Varosa
    • O Douro concentra um quarto de todo o património construído da região norte
    • Na região, há casas de campo e de aldeia, unidades de turismo de habitação e de agroturismo, hotéis rurais e apartamentos turísticos onde pode pernoitar
    • Os dois itinerários da Rota das Vinhas de Cister são ligados pela estrada nacional 226
    • O Hotel Lamego (http://www.hotellamego.pt/pt/) fica na Quinta da Vista Alegre, 5100-183 Lamego

Descubra um Douro religioso, repleto de lugares de culto e meditação, e visite alguns dos mais belos exemplares da arte cistercense. Faça um ou os dois itinerários que integram a Rota das Vinhas de Cister e tire proveito da pródiga união entre a natureza e a história que caracteriza a região. Optando por fazer os dois percursos, pode facilmente organizar a sua viagem de forma a ficar dois dias.

Foi no sopé das férteis encostas da Serra da Nave, entre os rios Távora e Varosa, no vale do Varosa, que os Monges de Cister escolheram construir, há vários séculos atrás, os seus templos. É aqui que, ainda hoje, pode apreciar alguns dos mais importantes tesouros e jóias do património nacional.

Visite os mosteiros que mantêm vivo o espírito dinâmico dos monges que cedo moldaram a região à sua imagem, trabalhando a terra, cultivando a vinha, incutindo normas e tradições que perduram até hoje. Classificado como Monumento Nacional desde 1956, o Mosteiro de S. João de Tarouca, do século XII, é um desses lugares com alma e pode visitá-lo em Tarouca.

A Rota das Vinhas de Cister percorre – e funde-se com – a Região Demarcada do Távora-Varosa, em cujos vinhedos nascem alguns dos melhores espumantes portugueses, bem como aromáticos e frutados vinhos de mesa, quer brancos, quer tintos. Guarde, por isso, tempo para conhecer a região também à mesa.

O caminho dos mosteiros

O itinerário "O caminho dos mosteiros" começa na histórica cidade de Lamego, onde não pode deixar de visitar a Sé Catedral e subir os 686 degraus da escadaria do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Lá do alto, a vista é magnifica. Em Lamego, vale a pena visitar também a capela visigótica de São Pedro de Balsemão, com vestígios de construção do século VII.

De Lamego, parta em direcção a Armamar e visite a Igreja Matriz Românica. Também daqui a vista, para a Mizarela, uma queda de água situada a 3 Km da vila, é verdadeiramente espetacular.

Siga por Travanca e Cimbres, para o Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, da Ordem de Cister e cuja atual traça data do século XVIII.

Na Ucanha, visite as famosas Caves da Murganheira, produtor de vinhos e espumantes DOC.

Neste primeiro dia, pernoite no Hotel Lamego, uma unidade construída numa antiga quinta, que preserva uma casa de época – o Palacete Vista Alegre data de 1926 – e que é ao mesmo tempo moderna e sofisticada. É o local ideal para desfrutar do conforto, tranquilidade, história e sabores do Alto Douro Vinhateiro.

"Entre vinhas e castanheiros"

O segundo itinerário, que tem ligação ao primeiro pela estrada nacional 226, é em Moimenta da Beira. Nesta localidade de longa tradição, visite o Mosteiro de Nossa Senhora da Purificação, também conhecido como Igreja das Freiras, e o Solar dos Carvalhais, onde hoje está instalada a Câmara Municipal.

Os apreciadores de vinho vão gostar de visitar a Cooperativa Agrícola do Távora, onde poderão não só ficar a conhecer mais vinhos DOC da região como também comprar algumas garrafas para levar.

Faça um desvio até Fonte Arcada, para ver o centro histórico, a igreja românica do século XII, a fonte com arco ogival que deu nome à localidade e a Casa da Loba, do século XIII.

Siga caminho até Tabuaço, onde poderá apreciar o pórtico da Igreja de S. Pedro das Águias, fundada no século XII, numa encosta do rio Távora.

Continuando para sul, encontrará a Serra da Lapa, onde fica um dos mais antigos santuários portugueses e a Capela da Senhora da Lapa, construída mais tarde, já no século XVII pelos jesuítas. Perto, visite também o Mosteiro de Nossa Senhora da Assunção de Tabosa, das monjas da Ordem de Cister.

Em Sernancelhe, terra de castanheiros, entre na Igreja Matriz e aprecie um extraordinário conjunto de esculturas românicas que lá existe. No centro histórico, preste atenção ao pelourinho do século XVI e ao Solar Barroco dos Carvalhos. Pelas ruas e jardins da vila, foram espalhadas esculturas em granito.

Despeça-se da região no alto do Castelo de Penedono, a 930 metros de altitude. A construção domina ao redor um vastíssimo panorama.

Regresse a Lamego e durma na Quinta da Pacheca, uma das mais conhecidas propriedades do Douro, tendo sido das primeiras a engarrafar vinhos com a sua marca, e cujas vinhas – parte, pelo menos – foram adquiridas através dos tempos aos conventos de Salzedas e de S. João de Tarouca.

Elegância e tradição à mesa

Celebre a vida com um flûte de um elegante e requintado espumante da região. Abrigado em caves escavadas no granito azul, este vinho gaseificado só vê a luz do dia depois de permanecer três anos em estágio e de ser submetido a rituais tão intensos como o "degolar" das garrafas).

Com os seus planaltos xistosos e encostas graníticas, por onde serpenteiam correntes de águas límpidas, o Douro é um paraíso de caça do monte e de peixes do rio. Acompanhe os enchidos caseiros com pão regional e prove o cabrito assado em antigos fornos de lenha e as trutas do Varosa, do Balsemão e do Vilar. Em Tarouca, pergunte pelo bazulaque de carnes, outro prato típico.

Como Chegar

Para o Porto, há voos de Bremen, Düsseldorf, Frankfurt, Karlsruhe, Munique (Alemanha), Bristol, Liverpool, Londres (Inglaterra), Bordéus, Carcassone, Dole, La Rochelle, Lille, Lyon, Marselha, Nantes, Paris, Rodez, St. Etienne Toulouse, Tours (França), Barcelona, Madrid, Palma de Maiorca, Valência (Espanha), Bolonha, Milão, Pisa, Roma, Veneza (Itália), Copenhaga (Dinamarca), Bruxelas, Amesterdão, Eindhoven (Holanda), Rio de Janeiro, São Paulo (Brasil) e Nova Iorque (EUA).

A partir do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, procure a A3, siga nessa autoestrada até à saída para a A4, continue na A4 até ao IP4, em direção a Vila Real/Bragança. Deixe o IP4 na saída para Mesão Frio/Régua e tome as estradas nacionais até Lamego.

Onde fica

Comentários