Sete dias no Porto e Norte

Um mês não chegaria para conhecer todos os cantos à região do Porto e norte de Portugal, tantos são os seus encantos, da arquitetura à natureza, passando pela gastronomia e pelos vinhos. Mas sete dias são suficientes para arrebatar e convencer qualquer visitante a regressar.

 
 
 
 
 
 
 

A movimentação no território é fácil e, por si só, um regalo para os olhos de qualquer turista. As cidades de Braga e Guimarães ficam a menos de uma hora de distância do Porto. Mais 20 minutos e consegue chegar a Viana do Castelo. Numa hora e meia, é possível chegar a Caminha e daí partir à descoberta de Monção e Melgaço. E da região do vinho Alvarinho a Trás-os-Montes é um "pulo" e daqui pode entrar no Douro por Vila Real ou Bragança.

Porquê ir

  • Património
  • História
  • Gastronomia e Vinhos
  • Paisagem natural
  • Cultura
  • Compras

Capital do norte

Planeie a sua estadia no Porto e, em três dias, conheça o essencial da cidade.

É obrigatório visitar o centro histórico da cidade, classificado como Património Cultural da Humanidade desde 1996, o museu e o parque de Serralves, a Casa da Música e as caves de vinho do Porto, junto ao Cais de Gaia, na margem sul do Douro.

Explore a baixa do Porto, de dia e de noite. Durante o dia, suba ao cimo da Torre dos Clérigos, apreciando uma das melhores vistas da cidade, visite a famosa livraria Lello, faça compras em lojas de criadores de moda e artesanato urbano e lanche em cafés históricos, como o Majestic ou o Café D'Âncora, mais conhecido como "Piolho". À noite, jante em restaurantes de cozinha sofisticada e criativa, beba um copo num dos vários wine bars da zona e dance em clubes com uma programação eclética.

Visite o mercado mais conhecido da cidade, o Bolhão, junto a uma das artérias comerciais de maior movimento, a rua de Santa Catarina.

Almoce na zona das praias e/ou faça um mini piquenique no Parque da Cidade, um "pulmão" com 83 hectares de áreas verdes, percursos pedonais e vários equipamentos desportivos.

Planeie a sua viagem de forma a passar o fim de semana no Porto. Ao sábado, há mercadinhos e feiras urbanas que não pode perder e a vida noturna da cidade é mais animada.

Vai gostar

  • Da gastronomia e dos vinhos do Porto e do norte
  • De conhecer o património cultural riquíssimo de Trás-os-Montes e do Douro
  • Das paisagens das regiões do norte de Portugal, sem exceção

Braga e Guimarães

Ao quarto dia de estadia, alugue um carro e conduza até ao coração do Minho, cujo património histórico e arquitetónico é o espelho de uma crença religiosa fervorosa.

Em Braga, suba ao Santuário do Bom Jesus do Monte, visite a Sé Catedral e almoce no centro histórico. Prove o famoso bacalhau à Braga, o cabrito assado e o pudim Abade de Priscos.

Da "Roma portuguesa" até Guimarães são 25 Km.  Na cidade que foi berço de Portugal e Capital Europeia da Cultura, comece pelo centro histórico que a UNESCO classificou como Património Cultural da Humanidade em 2001.

Depois, visite o Castelo, o Paço dos Duques de Bragança e o Santuário de Nossa Senhora da Penha – do cimo da Serra de Santa Catarina, a vista sobre Guimarães é privilegiada. Pode subir e descer no teleférico que liga o centro da cidade à Penha ou de carro.

Abra o apetite com um passeio no largo do Toural, uma das praças mais centrais e importantes de Guimarães, respire a atmosfera única que a cidade oferece, e jante num dos restaurantes do largo de Nossa Senhora da Oliveira, onde fica a igreja com o mesmo nome e o Padrão do Salado.

Prove os tradicionais rojões à minhota e termine a refeição com uma fatia de toucinho-do-céu. Acompanhe a refeição com um bom vinho verde da região.

Pode voltar ao Porto para pernoitar, aproveitando para passar mais uma noite na cidade, ou continuar na estrada, em direção ao norte litoral.

Norte litoral

Comece o dia seguinte em Viana do Castelo. A partir da avenida dos Combatentes da Grande Guerra, a artéria mais central da cidade, explore as ruas estreias da zona histórica e tome pequeno-almoço numa das confeitarias locais.

Visite o Santuário do Monte de Santa Luzia. A Basílica de Santa Luzia é um imponente monumento, sobranceiro à cidade, que começou a ser construído em 1903 e ficou concluído em 1943. Oferece uma panorâmica imperdível.

Almoce um peixinho na vila de Caminha. Na sua praça mais central, a praça Conselheiro Silva Torres, encontrará alguns restaurantes e cafés com simpáticas esplanadas, dispostas à volta do chafariz quinhentista, bem como na rua Direita e noutras artérias envolventes. Se tiver tempo, tome café na praia fluvial da Foz do Minho, um local idílico, às portas da Mata Nacional do Camarido, de onde se vê a serra de Santa Tecla, em Espanha.

Siga o rio em direção à sua nascente e, mais a norte, prove vinho Alvarinho, o mais apreciado vinho verde português, em Monção e Melgaço. Em Monção aprecie a paisagem de um dos aprazíveis terraços e miradouros que esta cidade fortificada oferece e passeie ao longo das muralhas seiscentistas que guardam o centro histórico. Na parte antiga da vila, vale a pena visitar as igrejas Matriz, da Misericórdia e de Santo António dos Capuchos. Nos arredores, visite o Palácio da Brejoeira, onde se produz Alvarinho.

Termine o dia em Melgaço. Prove um dos vários pratos feitos com lampreia, capturada no rio Minho e uma especialidade do concelho. Retempere forças com uma boa noite de sono. Em Melgaço, pode ficar no Monte Prado Hotel & Spa. O ambiente tranquilo deste hotel contemporâneo e a envolvente idílica são propícios a isso.

O que precisa saber

  • Braga e Guimarães ficam a cerca de 50 Km do Porto
  • Foi em Guimarães que Portugal nasceu enquanto país independente, em 1143, e que viveu o primeiro rei, D. Afonso Henriques
  • Viana do Castelo e Caminha distam 77 Km e 100 Km do Porto, respetivamente
  • De Bragança a Vila Real são duas horas de viagem
  • No Douro e em Trás-os-Montes, as temperaturas são extremas: os verões são muito quentes e no inverno são frequentes as temperaturas negativas

Trás-os-Montes

No dia seguinte, arranque em direcção ao nordeste transmontano. Se partir cedo, conseguirá chegar a Chaves – a cerca de duas horas de viagem –a meio da manhã.

Almoce na cidade que na época da ocupação romana era conhecida por "Aquae Flaviae". Chaves, que tem um parque termal muito procurado, é conhecida pela riqueza gastronómica, de que se destacam os enchidos e o presunto.

Em Chaves, pode pernoitar no Vidago Palace, um dos mais famosos hotéis históricos de luxo em Portugal, que foi recentemente renovado e ganhou um moderno spa termal e um convidativo campo de golfe. Situado em pleno Parque de Vidago, numa localidade com o mesmo nome, o imponente palácio oferece um ambiente acolhedor e único.

Depois do almoço, siga até Bragança – mais duas horas –, cidade que mantém um núcleo urbano medieval que vale a pena visitar: na cidadela, são motivos de interesse a imponente Torre de Menagem do Castelo, o Pelourinho assente num curioso berrão lusitano, a Igreja de Santa Maria e a Domus Municipalis, exemplar único da arquitetura civil.

Reserve o último dia para conhecer o Douro. Considerada património mundial pela UNESCO, a primeira região demarcada do mundo é o berço do afamado vinho do Porto.

Alto Douro Vinhateiro

Comece o dia em Vila Real, descubra o núcleo medieval da cidade, passeie pelo Jardim da Carreira e suba ao alto do Calvário, onde pode apreciar uma bonita perspetiva da cidade que acolheu muitas famílias nobres entre os séculos 17 e 19 e das serras do Marão e do Alvão.

O que fazer

  • Em Braga, compre frigideiras, um pastel folhado de carne tradicional, fidalguinhos e talassas, doces também típicos, para levar
  • A cerca de 3 Km de Vila Real, visite o Palácio de Mateus, uma obra-prima projetada por Nicolau Nasoni e uma das mais notáveis joias do barroco português

De Vila Real, é só seguir as estradas nacionais e municipais que ligam estas cidades transmontanas ao coração do Alto Douro Vinhateiro.

Visite uma das quintas produtoras que organizam visitas e provas de vinho temáticas e passeie de barco no rio Douro. Algumas têm também alojamento. É o caso da Quinta Nova Nossa de Senhora do Carmo, que fica no coração do Vale do Douro – em Sabrosa, no distrito de Vila Real – e tem um hotel rural que nasceu da reconstrução da antiga casa oitocentista. Este projeto de enoturismo, premiado internacionalmente, inclui um restaurante, uma loja de vinhos, um bar, pomares e circuitos pedestres, uma adega e uma magnífica piscina entre vinhas.

Testemunhe como a gastronomia local está à altura dos vinhos do Douro e do Porto. Prove os melhores pratos de cozinha regional – sugerimos-lhe o cabritinho com batatas e arroz de forno ou os peixinhos do rio – e os doces conventuais.

Não regresse ao Porto sem trazer uma lembrança da região, cujo artesanato é famoso pelos cestos de vime, pelos bordados, pela olaria e pelos cobertores e tapetes em lã.

Volte à cidade das caves de comboio ou de barco.

Como Chegar

Para o Porto, há voos low cost, por exemplo, de Londres (Stansted e Gatwick), Paris (Beauvais, Orly, Vatry e Charles de Gaulle), Marselha, Lille, Tours, St. Etienne, Bolonha, Bordéus, Lion, Toulouse, Madrid, Barcelona El Prat, Tenerife, Valencia e Palma de Maiorca.

Apenas no verão, há companhias low cost a voar de Liverpool, Las Palmas, Carcassonne, Rodez e Nantes.

Com tarifas normais, há ligações aéreas a partir de Londres – Gatwick, Madrid, Barcelona e Paris – Orly.

Do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, a melhor forma de chegar ao centro da cidade do Porto é de metro. A viagem dura cerca de 30 minutos.

Do Porto a Guimarães, chega-se em aproximadamente 30 minutos pelas autoestradas A7 e A3.

Be inspired

Choose your journey, find new places, have some fun and create memories for a lifetime.

Saiba mais

Artigos relacionados

Contemporary Architecture in Porto

Saiba mais

Dois dias no Porto

Saiba mais

Três dias no Porto e no Douro

Saiba mais