O que fazer

Touring

Associação de Turismo do Porto BY-NC-SA CC

Associação de Turismo do Porto BY-NC-SA CC

Associação de Turismo do Porto BY-NC-SA CC

Associação de Turismo do Porto BY-NC-SA CC

Associação de Turismo do Porto BY-NC-SA CC

 
 
 
 
 

O Porto e Norte de Portugal é de tal maneira rico que oferece a possibilidade de traçar rotas nas mais diversas áreas e ao gosto de cada um. Percursos como a Rota do Vinho do Porto e Douro, as rotas arquitectónicas, a rota das aldeias históricas ou a rota gastronómica revelam-se de um interesse e de uma beleza ímpar. Aventurar-se por este Porto e Norte adentro é descobrir sempre mais, é enriquecer-se a cada passo, a cada nova experiencia.

Touring

O Porto e Norte de Portugal é de tal maneira rico que oferece a possibilidade de traçar rotas nas mais diversas áreas e ao gosto de cada um.

Percursos como a Rota do Vinho do Porto e Douro, as rotas arquitectónicas, a rota das aldeias históricas ou a rota gastronómica revelam-se de um interesse e de uma beleza ímpar. Aventurar-se por este Porto e Norte adentro é descobrir sempre mais, é enriquecer-se a cada passo, a cada nova experiencia.

Historical, cultural and religious tour at Porto and the North of Portugal from ARPT Porto & Norte

Rota do Vinho do Porto e Douro

O Douro vinhateiro é uma das paisagens mais impressionantes do mundo, justamente classificada pela UNESCO como Património Mundial. Ao longo de gerações, milhares de homens construíram extraordinárias escadarias de socalcos em encostas clivosas de montanha, transformando terras quase inacessíveis em extensas áreas de cultivo do famoso vinho do porto. É daí que vem uma das marcas mais fortes e impressionantes da região.

Terra de grandes contrastes, o Douro é marcado pelas serras xistosas do Marão e de Montemuro, que o protege dos ventos atlânticos, abrindo-o à influência mediterrânica e continental. O rio Douro e seus afluentes, correndo em vales profundos, desenham uma paisagem de uma beleza agreste e misteriosa, batida por grandes amplitudes térmicas, com verãos muito quentes e Invernos rigorosos.

Os roteiros para visitas possíveis são infindáveis, desde as famosas quintas ligadas à produção de vinho do Porto, até aos mais recentes núcleos de arte rupestre do rio Côa, passando por algumas propostas hoteleiras de muito bom nível e de viagens de barco ou caminho de ferro com um enquadramento paisagístico fabuloso. A gastronomia regional casa-se superiormente com o vinho generoso e com os cada vez mais bem cotados vinhos de mesa durienses.

Rota gastronómica

O Porto e Norte de Portugal é de uma riqueza gastronómica difícil de igualar. Destacamos aqui apenas alguns dos pratos mais representativos do que de melhor se pode apreciar. Aqui ficam algumas sugestões:

Porto

Bacalhau à Zé do Pipo

Francesinha à Moda do Porto

Tripas à Moda do Porto

Viana do Castelo

Arroz de Cabidela

Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima

Rojões à Moda do Minho

Bolinhos de Jerimu

Braga

Pudim à Abade de Priscos

Bacalhau Assado com broa à moda do Minho

Caldo Verde

Rotas arquitetónicas

Rota do Barroco

Símbolo do século XVIII em Portugal, o Barroco demarcou-se dos outros países, através dum original exotismo. Beneficiando do apogeu económico vivido na época, palácios, igrejas e mosteiros, encheram-se de movimento e cor. No Porto, estão alguns dos mais significativos monumentos barrocos que não pode perder, tais como a Torre dos Clérigos e a Igreja de São Francisco. 

Para norte, nos arredores de Braga, capital eclesiástica do país, o Santuário do Bom Jesus e o Mosteiro de Tibães merecem igualmente a sua visita.

Subir o rio de barco e deslumbrar-se com encostas marcadas por vinhas em socalcos. Ao chegar ao Peso da Régua, visite o Solar do Vinho do Porto e prove o famoso vinho. Próximo de Vila Real, a Fundação Casa de Mateus, palácio mundialmente conhecido por figurar no rótulo do vinho Mateus Rosé, espera por si. O trabalho em granito do Santuário de N.ª Sr.ª dos Remédios, em Lamego, e o contraste da sobriedade cisterciense com a explosão de movimento e cor do retábulo do Mosteiro de Tarouca, nos arredores, vão ficar marcados na sua memória.

Rota das aldeias históricas

O Norte de Portugal é porventura a zona do país onde por ação de um maior isolamento geográfico as características de algumas povoações permanecem mais preservadas. Por outro lado a recuperação urbanística de aglomerados permite conhecer uma surpreendente beleza e a verdadeira valia do património edificado, dos usos e dos costumes das populações. Conhecer as aldeias históricas do Norte de Portugal é uma experiencia única e uma surpreendente viagem no tempo.

Rota dos castelos

Conhecer os castelos do Norte de Portugal é desvendar um pouco de história a cada passo, é perceber a determinação de um povo que ao longo dos tempos lutou pela autodeterminação e pela independência.</p><p>Este é um programa altamente recomendável para quem se interessa por história e cultura.

Castelo de Melgaço

Castelo de Valença

Castelo de Guimarães

Castelo de Bragança

Castelo de Póvoa de Lanhoso (Braga)

Castelo de Mogadouro (Bragança)

Castelo de Montalegre (Vila Real)

Castelo dos Mouros ( Vila Real)

Castelo de Chaves

Castelo de Santo Estevão (Chaves)

Castelo de Freixo de Espada à Cinta (Bragança)

Castelo de Ansiães (Bragança)

Castelo de Arnoia (Braga)

Rota Património da Humanidade

Porto

O Centro Histórico do Porto constitui uma obra-prima do génio criativo da humanidade. Interesses militares, comerciais, agrícolas e demográficos, convergiram aqui para abrigar uma população capaz de construir a cidade. O resultado é uma obra de arte única, de elevado valor estético. É um trabalho coletivo, que não foi realizado num determinado momento, mas o resultado de sucessivas contribuições.

Um dos aspetos mais significativos da cidade do Porto, e em particular do seu Centro Histórico, é o seu valor panorâmico, fruto da complexidade do terreno, da articulação harmoniosa das suas ruas e do diálogo com o rio. Apesar da variedade de formas e materiais, o Centro Histórico do Porto conserva uma unidade estética visual. A cidade traduz, com êxito, uma interação entre os ambientes social e geográfico.

Guimarães

Guimarães é uma das mais fascinantes cidades portuguesas, cujo centro medieval e quinhentista foi classificado pela UNESCO como Património da Humanidade.Associada à fundação do reino de Portugal e a D. Afonso Henriques, há uma personagem, injustamente esquecida, que teve um papel determinante no desenvolvimento da cidade - a condessa Mumadona Dias que, no século X, manda erguer na planície um mosteiro e, na colina adjacente, um castelo para o proteger. A ligar ambos, um caminho viria a dar origem à Rua de Santa Maria. Nasciam, assim, os marcos fundamentais da futura cidade de Guimarães, por iniciativa desta mulher decidida.Guimarães é uma terra onde apetece voltar sempre, para percorrer as ruas antigas, visitar monumentos como o famoso castelo ou o paço ducal, ou tomar uma bebida numa das mais bonitas praças portuguesas: o conjunto constituído pelo Largo da Oliveira e pela Praça de Santiago. E a dominar a cidade fica o monte da Penha, com bela mata ajardinada. Mais recentemente, para além de um novo centro cultural (Vila Flor), a cidade investiu em vários equipamentos de desporto e lazer como a Cidade Desportiva, o Parque da Cidade e o Complexo Multifuncional de Couros.

Alto Douro Vinhateiro

A área classificada do Alto Douro Vinhateiro engloba 25 mil hectares, o que representa dez por cento da Região Demarcada do Douro, que desde há cerca de 250 anos produz aquele que é considerado um dos melhores vinhos do mundo: o Vinho do Porto. A região classificada pela UNESCO como Património da Humanidade é dominada pela geometria dos vinhedos e socalcos recortados nas encostas. É um verdadeiro prodígio da Natureza, conjugado com a intervenção regrada do Homem que, ao longo dos tempos, aqui foi desenvolvendo a atividade vinícola, dando origem a um cenário único e irrepetível. A área consagrada por esta imensa riqueza paisagística e cultural, engloba os municípios de Mesão Frio, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Alijó, Sabrosa, Carrazeda de Ansiães, Lamego, Armamar, Tabuaço, São João da Pesqueira e Vila Nova de Foz Coa.

Gravuras do Vale do Côa

O Parque Arqueológico do Vale do Côa é a entidade responsável pela gerência e proteção do espólio rupestre do vale, assim como pela promoção das visitas e da divulgação das gravuras. Recorde-se que a arte rupestre do Côa está classificada como Monumento Nacional desde 1997 e como Património da Humanidade em 1998.

O vale do Côa é, na sua grandiosidade, um dos principais espaços de arte rupestre do mundo, com 28 núcleos de gravuras ao longo dos 17 quilómetros do Rio Côa. Hoje em dia o Vale do Côa é um local predominantemente verde, onde os montes se vão colorindo com o amarelo e o vermelho das papoilas, a riquíssima fauna do local, onde se destaca a pêga-azul, uma ave que existe apenas na Península Ibérica e na China, e uma paisagem de cortar a respiração.Na altura em que os homens pré-históricos desenharam as suas gravuras, a temperatura da era glaciar rondava os 10 graus negativos, sendo ainda assim dos locais de clima mais temperado e por isso a fixação de um povo seminómada ali. Ao contrário do que se pensa, estes homens não vivam em grutas mas sim em cabanas, construídas com madeira e pele de animais, que também lhes serviam de roupa. Por lá existia o urso, tendo sido o último local de extinção deste animal no nosso país.

Rota das Pousadas

Viajar pelo Norte de Portugal e ficar hospedado nos melhores locais é um privilégio. Descubra as Pousadas do Norte de Portugal e um pouco da tradição de bem receber em ambientes acolhedores e pitorescos que decerto vai recordar para sempre.

Minho

Pousada de Amares, Santa Maria do Bouro

Pousada de Valença, São Teotónio

Pousada de Viana do Castelo, Monte de Santa Luzia

Pousada de Guimarães. St. Marinha da Costa

Douro

Pousada de Alijó, Barão de Forrester

Pousada do Marão, São Gonçalo Norte

Pousada do Porto, Palácio do Freixo

Trás-os-Montes

Pousada de Bragança, São Bartolomeu

Pousada do Gerês, Caniçada São Bento

Pousada de Mesão Frio, Solar da Rede

Caminhos de Santiago

Os Caminhos de Santiago são os percursos percorridos pelos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela desde o século IX. Estes são chamados de peregrinos, do latim per ægros, aquele que atravessa os campos. Têm como seu símbolo uma concha, normalmente uma vieira designada localmente por venera, costume que já vinha do tempo em que os povos ancestrais peregrinavam a Finisterra.

Os caminhos espalham-se por toda a Europa e vão entroncar aos caminhos espanhóis.

A maior parte dos caminhos portugueses entroncam em Valença do Minho, onde se fazia (faz) a travessia da fronteira para Tui e daí estende-se por cerca de 130 quilómetros. Do lado português, os percursos mais frequentados são a partir de Fátima, do Porto, de Barcelos ou de Braga. Nos últimos anos, tem ganhado relevo o percurso Porto-Rates-Barcelos-Ponte do Lima-Valença como principal caminho português.

Rota da Igrejas e Santuários

A rota das igrejas e santuários do Norte de Portugal é particularmente interessante quando se quer aprender mais sobre o povo, os seus costumes e crenças ao mesmo tempo que se aprecia o legado riquíssimo do património edificado.

I - Igrejas

Viana do Castelo

Igreja Matriz de Caminha

Igreja Matriz de Monção

Igreja Matriz de Ponte de Lima

Igreja Matriz de Vila Nova de Cerveira

Braga

Igreja da Misericórdia

Igreja de São João do Souto

Igreja do Bom Jesus - Fão (Esposende)

Igreja Matriz de Fafe

Igreja de São Francisco (Guimarães)

Igreja Românica de Fonte Arcada (Póvoa de Lanhoso)

Igreja de Nossa Senhora da Abadia (Terras de Bouro)

Igreja de São Paio (Vila Verde)

Porto

Igreja Torre dos Clérigos

Igreja de São Francisco

Igreja Matriz de Vila de Conde

Igreja Matriz de Penafiel

Igreja do Bom Jesus (Matosinhos)

Igreja Matriz de Gondomar

Bragança

Igreja Matriz de Moncorvo

Vila Real

Igreja dos Clérigos

Igreja Matriz de Valpaços

Igreja da Cumieira (Santa Marta de Penaguião)

Igreja Matriz do Divino Salvador (Ribeira de Pena)

Igreja Matriz de Mondim de Basto

Igreja da Misericórdia (Chaves)

II - SantuáriosBraga

Santuário do Bom Jesus do Monte

Santuário da Nossa Senhora da Penha (Guimarães)

Santuário de São Bento da Porta Aberta (Terras de Bouro)

Santuário da Nossa Senhora do Alívio - Soutelo (Vila Verde)

Vila Real

Santuário da Nossa Senhora da Saúde (Valpaços)

Santuário da Nossa Senhora da Conceição (Vila Pouca de Aguiar)

Santuário de São Caetano (Chaves)

Rota do Artesanato

O Artesanato é um conjunto de trabalhos manuais que requer destreza e habilidade artística. São peças funcionais ou decorativas que simbolizam a cultura e o folclore de um povo. Este tipo de arte que não é somente popular mas que tem vários elementos da arte clássica e que começou com o homem pré-histórico, modernizou-se através dos anos, ou melhor, dos séculos, ganhou características regionais de cada grupo de pessoas e hoje, é o artesanato que conhecemos, rico em variedades, formas, tendências e estilos. Venha saber mais sobre esta arte popular.

Rota Best buys

Ao viajar pelos recantos do Norte de Portugal, pode também reservar um dia para as compras. Afinal, quem não gosta de comprar algo que lhe recorde o local por onde passou? 

Em Guimarães pode espreitar as montras do artesanato local e as lojas de vestuário e calçado, enquanto passeia pelo belíssimo centro histórico.

A cidade do Porto é, também conhecida pela grande actividade ligada ao calçado, ao design de moda e à ourivesaria. Comece por percorrer a Baixa do Porto, nomeadamente a Rua de Santa Catarina, onde se encontram as melhores lojas da cidade. Na Boavista e junto à foz pode, também, encontrar sofisticadas lojas e marcas mundiais.

Rota das festas populares

As festas populares são uma excelente oportunidade para conhecer os costumes e tradições de cada região. A decorrer sobretudo durante o Verão enchem aldeias, vilas e cidades de cor e alegria.</p>

Quando os balões, a sardinha assada, o caldo verde e o alho-porro saem às ruas do Porto estamos no São João - a grande festa da cidade e uma das maiores do país. Venha conhecer o Norte em festa!</p>

Outras festas no Norte de Portugal: 

Festas da Senhora da Agonia, Agosto - Viana do Castelo

Festas da Semana Santa - Braga

Peregrinação de São Torcato, Julho - Guimarães

Festas de São João, 24 de Junho Porto, Vila do Conde e Braga

Festas da Senhora do Amparo e Feira de São Tiago, Julho e Agosto - Mirandela

Rota dos jardins

Experimente a sensação de se sentar num banco de jardim, ouvir o canto dos pássaros, respirar ar puro e retemperar energias para seguir a sua viagem pelo Norte de Portugal. Esta região oferece inúmeros espaços verdes extremamente agradáveis. 

Aceite estas sugestões: no Porto refugie-se da confusão típica de uma cidade movimentada e vá até aos jardins do Palácio de Cristal ou ao Jardim Botânico. Em Viana do Castelo procure a tranquilidade do jardim do Monte de Santa Luzia. Na região do Douro poderá desfrutar dos bonitos jardins da Casa de Mateus em Vila Real.

Outros jardins, noutras localidades:

Viana do Castelo: Jardim Marginal; Jardim D. Fernando; Jardim do Monte de Santa Lúzia;

Braga:Jardim do Bom Jesus do Monte; Jardim de Santa Barbára

Guimarães: Jardim do Carmo; Jardim do Mosteiro de Santa Marinha da Costa;

Porto: Jardim de São Lázaro; Jardim Botânico; Jardim do Palácio de Cristal; Jardim do Marques de Pombal;

Vila Real: Jardim da Casa de Mateus; Jardim de Chaves;

Bragança: jardim da Alameda Duque de Bragança

Rotas turismo fotográfico

A fotografia e o turismo podem ser duas actividades intrinsecamente ligadas. Para os que gostam de registar os melhores momentos de uma viagem, a Região Norte de Portugal dispõe de locais privilegiados para admirar as mais belas paisagens, como é o caso do Miradouro do Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, o Miradouro do Sameiro, em Braga, ou o Miradouro do Penedo Durão, em Bragança. Venha Conhece-los!

Outras sugestões:

Viana do Castelo (Minho)- Miradouro do Monte de Santa Luzia; Miradouro do Monte do Faro; Miradouro do Monte da Encarnação;

Forte da Ínsua; 

Braga (Minho) - Miradouro do Sameiro; Miradouro da Pedra Bela (Terras de Bouro); Parque e Monte da Penha

Guimarães (Minho) - Parque e Monte da Penha; 

Porto - Miradouro da Serra do Pilar; Miradouro dos Jardins do Palácio de Cristal;

Bragança (Douro)- Miradouro do Penedo Durão

Vila Real (Douro) - Miradouro de São Leonardo da Galafura

Rota do Românico

Uma Rota fundada nas memórias do românico, que convida a uma viagem inspiradora a lugares com História, junto de singulares conjuntos monásticos, igrejas, capelas, memoriais, pontes, castelos e torres senhoriais, amadurecida em terra forjada de verde, repleta de saberes e sabores.

Em terras dos vales do Tâmega e Sousa, no coração do Norte de Portugal, ergue-se um importante património arquitetónico de origem românica. Este legado excecional, expresso em 58 monumentos, transporta-o para a fundação da Nacionalidade.

Felgueiras

Igreja de Santa Maria de Airães

Igreja de São Mamede de Vila Verde

Igreja de São Vicente de Sousa

Igreja do Salvador de Unhão

Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro

Lousada

Igreja de Santa Maria de Meinedo

Igreja do Salvador de Aveleda

Ponte da Veiga

Ponte de Espindo

Ponte de Vilela

Torre de Vilar

Paços de Ferreira

Mosteiro de São Pedro de Ferreira

Paredes

Capela da Senhora da Piedade da Quintã

Ermida da Nossa Senhora do Vale

Mosteiro de São Pedro de Cête

Torre do Castelo de Aguiar de Sousa

Torre dos AlcoforadosPenafiel

Igreja de São Gens de Boelhe

Igreja de São Miguel de Entre-os-Rios

Igreja de São Pedro de Abragão

Igreja do Salvador de Cabeça Santa

Memorial da Ermida

Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa

Castelo de Paiva

Marmoiral de Sobrado
Cinfães

Igreja de Nossa Senhora da Natividade de Escamarão

Igreja de Santa Maria Maior de Tarouquela

Igreja de São Cristóvão de Nogueira

Resende

Igreja de Santa Maria de Barrô

Igreja de São Martinho de Mouros

Mosteiro de Santa Maria de Cárquere

Ponte da Panchorra

Baião

Igreja de São Tiago de Valadares

Mosteiro de Santo André de Ancede

Ponte de Esmoriz

Marco de Canaveses

Capela da Senhora da Livração de Fandinhães

Igreja de Santa Maria de Sobretâmega

Igreja de Santo André de Vila Boa de Quires

Igreja de Santo Isidoro de Canaveses

Igreja de São Martinho de Soalhães

Igreja de São Nicolau de Canaveses

Igreja do Salvador de Tabuado

Memorial de Alpendorada

Mosteiro de Santa Maria de Vila Boa do Bispo

Ponte do Arco

Amarante

Igreja de Santa Maria de Gondar

Igreja de Santa Maria de Jazente

Igreja de Santo André de Telões

Igreja de São João Baptista de Gatão

Igreja do Salvador de Lufrei

Igreja do Salvador de Real

Mosteiro de São Martinho de Mancelos

Mosteiro do Salvador de Freixo de Baixo

Mosteiro do Salvador de Travanca

Ponte de Fundo de Rua

Celorico de Basto

Castelo de Arnoia

Igreja de Santa Maria de Veade

Igreja do Salvador de Fervença

Igreja do Salvador de Ribas

Vídeo

Comentários