Três dias no Porto

Três dias são suficientes para qualquer um se apaixonar pelo Porto. Esta cidade do norte de Portugal traz no rosto rugas de séculos de história mas tem a dinâmica das mais modernas capitais europeias. 

 
 
 
 
 
 
 
 

Três dias são suficientes para qualquer um se apaixonar pelo Porto. Esta cidade do norte de Portugal traz no rosto rugas de séculos de história mas tem a dinâmica das mais modernas capitais europeias. Nas mesmas ruas estreitinhas do centro histórico onde pode apreciar edifícios centenários há garrafeiras e mercearias gourmet onde pode comprar lembranças para quem ficou em casa. A sua baixa apresenta-se como uma zona florescente, de dia e de noite, com as suas lojas, restaurantes e bares.

Sexta ao final da tarde

Dê uma volta ao final da tarde em Santa Catarina, a rua do centro do Porto mais movimentada durante o dia, e se chegar com fome mas ainda for cedo para jantar entre no Majestic e peça rabanadas envoltas em segredos e em ovos-moles, uma das especialidades deste café aberto desde 1921. Peça um cálice de vinho do Porto e aprecie, o néctar e a arquitetura daquele que é um dos melhores exemplares de Arte Nova da cidade.

Nos últimos cinco anos, a oferta da noite portuense sofreu uma revolução, concentrando-se actualmente na baixa. Na zona envolvente da torre dos Clérigos, jante no Book, um restaurante moderno que ocupa o espaço de uma antiga livraria. Peça um aperitivo enquanto espera por uma mesa. A açorda de camarão com ovas e o escondidinho de ossobuco são duas das especialidades.

Desça até à rua Cândido dos Reis e beba um cocktail de vinho do Porto no bar Porto Tónico. Fique por ali até que o sono o vença ou explore as ruas da baixa e veja como depois da meia-noite – antes até – estas artérias são pertença de quem se quer divertir.

Sábado

De manhã, visite o mercado de Bolhão, um edifício pensado pelo arquitecto António Correia da Silva e inaugurado em 1914.

Desça até à avenida dos Aliados e à praça D. João I. Aprecie aquela que é a "sala de visitas" do Porto e almoce no luxuoso Hotel InterContinental, que recuperou, no rés-do-chão, o emblemático Café Astória.

De tarde, aventure-se pelo chamado Quarteirão das Artes. Na rua Miguel Bombarda, mas também em artérias adjacentes, há várias galerias de arte contemporânea e, pelo menos seis vezes por ano, e com uma periodicidade de mais ou menos mês e meio, estes espaços inauguram simultaneamente exposições de artistas plásticos nacionais e estrangeiros.

Para além de concentrar mais galerias de arte por metro quadrado do qualquer outra zona da cidade, o Quarteirão das Artes é também um óptimo sítio para fazer compras, cortar o cabelo ou beber um chá exclusivo.

Visite o Centro Comercial Bombarda, onde há lojas de criadores nacionais – conheça as criações dos Storytailors, a dupla composta pelos estilistas Luís Sanchez e João Branco –, peças de vestuário e acessórios vintage, artesanato com assinatura de autor, mobiliário de design e várias lojas de roupa alternativa. Na rua Miguel Bombarda, corte o cabelo no Lab Sixtyone, um salão de cabeleireiro com um conceito inovador, único e cheio de estilo, a fazer lembrar os espaços do Soho londrino.

A 5 minutos a pé, na baixa, há outros sítios que vai adorar. Ainda na moda, vale a pena passar pela loja de Luís Buchinho, estilista português reconhecido pelo seu trabalho a nível nacional e internacional. Fica no número 122 da rua José Falcão.

A Vida Portuguesa, no primeiro andar do número 20 da rua Galeria de Paris – o centro nevrálgico da noite do Porto –, é uma loja que vende os mais belos produtos de criação e antiga fabricação portuguesa e onde pode comprar os famosos os sabonetes da Ach.Brito, poncha da ilha da Madeira ou louça decorativa da Fábrica de Faianças Artísticas Bordalo Pinheiro.

Muito perto, na rua do Almada, entre na Arcádia, uma empresa de confeitaria familiar fundada em 1933, e compre línguas de gato de chocolate, o produto de assinatura da casa, ou os bombons de chocolate com vinho do Porto, aperfeiçoados em parceria com a Calém. Estes vendem-se em embalagens de 100 ou 400 gramas ou num pacote que inclui os bombons e uma garrafa de 750 ml de Porto Cálem 10 anos. Os preços variam entre 2,10 e 45 euros.

Finalmente, ainda na baixa, na Bonitos, na rua 31 de janeiro, pode comprar trufas com Porto Ferreira. Os preços dos chocolates com vinho do porto variam entre 5,5 e 64 euros.

À noite, quando já tiver calcorreado algumas ruas da cidade, tente adivinhar o que é o quê no mar de luzinhas que iluminam o Porto à noite a partir das janelas do restaurante Barão de Fladgate, o restaurante panorâmico da Taylor's, na margem sul do rio, mais precisamente na zona das caves de vinho do Porto. É uma excelente opção para um jantar requintado e uma vista soberba.

Perto, no Cais de Gaia encontra vários bares onde é possível prolongar a noite a dançar e wine bars onde pode beber um Porto 10 Anos ou um LBV (Late Bottled Vintage).

O Plano B (rua Cândido dos Reis, 30) ou o Pitch (rua Passos Manuel, 34-38) são boas opções para "digerir" o jantar. O primeiro fica perto da torre dos Clérigos e é um espaço multidisciplinar que acolhe concertos e exposições de arte mas que também funciona como clube. O segundo é um clube distinto, frequentado por jovens adultos e com propostas sonoras ecléticas. Fica na rua do Coliseu do Porto, a principal sala de espectáculos da cidade onde, com sorte, poderá apanhar um espectáculo de um artista português, como um dos fadistas da nova geração por exemplo.

Domingo

Passe a manhã no Parque de Serralves. Visite o Museu de Arte Contemporânea gratuitamente (aos domingos, de manhã, a entrada é livre), desenhado por Siza Vieira e inaugurado em 1999, e namore nos jardins da propriedade que outrora pertenceu a um importante conde da cidade do Porto. À saída, visite a loja da fundação que gere o museu e o parque. É uma referência na área do designe criação contemporâneos.

Por falar em Serralves e no Prémio Pritzker, sabia que existe um copo oficial para beber vinho do Porto? A Ideia partiu do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto e Siza Vieira desenhou um copo com uma tulipa alta, mais estreita no topo, pé quadrado e uma reentrância a meio para ajudar o consumidor a segurá-lo. Foi apresentado em 2001 e está à venda na Loja de Serralves.

Deixe Serralves e rume à avenida da Boavista. Quase a chegar à Casa da Música, almoce no VIP Lounge, que fica no último andar do luxuoso Porto Palácio Hotel e oferece uma panorâmica incrível sobre a cidade e um ambiente seleccionado e exclusivo. Da carta, vale a pena provar o tornedó de novilho gratinado com o sublime queijo da ilha de São Jorge sobre migas de feijão rajado, grelos e broa de milho. Por 30 euros, também pode optar por um brunch completo, com pratos quentes e frios, saladas e doces gulosos.

Tome café na Casa da Música e se tiver tempo faça uma visita guiada ao edifício. Pode fazê-lo num registo descontraído, com direito a um cálice de vinho do Porto (visitas turísticas) ou acedendo ao backstage e a todas as áreas técnicas do edifício (visitas técnicas).

O fim-de-semana no Porto não fica completo sem uma visita às caves de vinho do Porto. Visite as caves Ferreira, que carregam o nome de D. Antónia Adelaide Ferreira (uma mulher lendária com uma personalidade única, que enfrentou as adversidades do Douro no século 19) e têm dos maiores balseiros – de alguns milhares de litros cada – de todas as caves.

A Sandeman também dá uma visita interessante. Com um logótipo que está entre as imagens mais icónicas de Portugal – um homem todo de negro com um cálice na mão e foi batizado como “Don”.

E no museu das caves Ramos Pinto, está exposto um prato de loiça comemorativo com o rosto de Napoleão Bonaparte.

Com as notas que ainda tiver no bolso, beba um copo de vinho no Yeatman e despeça-se da cidade com os olhos postos no postal vivo que é a vista deste hotel vínico. Com uma nota de 5 euros já consegue beber um bom vinho do Douro, mas se tiver uma de 100 e for apreciador, aqui fica a dica: o Yeatman serve a copo o vinho do Porto Scion, da Taylor's, o mais velho de sempre à venda, com mais de 150 anos e anterior ao período da filoxera, uma praga que arruinou as vinhas da região do Douro. No Dick's Bar, também pode embarcar num wine flight, uma prova de três vinhos que custa 37 euros e inclui petiscos do chefe Ricardo Costa e visita à garrafeira do hotel.

Como Chegar

Para o Porto, há voos low cost, por exemplo, de Londres (Stansted e Gatwick), Paris (Beauvais, Orly, Vatry e Charles de Gaulle), Marselha, Lille, Tours, St. Etienne, Bolonha, Bordéus, Lion, Toulouse, Madrid, Barcelona El Prat, Tenerife, Valencia e Palma de Maiorca.

Apenas no verão, há companhias low cost a voar de Liverpool, Las Palmas, Carcassonne, Rodez e Nantes.

Com tarifas normais, há ligações aéreas a partir de Londres – Gatwick, Madrid, Barcelona e Paris – Orly.

Do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, a melhor forma de chegar ao centro da cidade do Porto é de metro. A viagem dura cerca de 30 minutos.

Be inspired

Choose your journey, find new places, have some fun and create memories for a lifetime.

Saiba mais

Artigos relacionados

Porto: A Cozinha dos Chefes

Saiba mais

Dez sítios a não perder na cidade do Porto

Saiba mais

Fazer compras no Porto

Saiba mais

Romance no Porto e no Douro

Saiba mais